Chefe do Yahoo detalha estratégia de conexão à Web

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 11:41 BRST
 

Por Eric Auchard

SAN FRANCISCO (Reuters) - A última coisa de que o mundo precisa é de outra rede social que permita aos usuários falar sem parar com seus amigos, disse em entrevista o chefe da divisão de Internet móvel do Yahoo .

Na verdade, o que os usuários precisam é de algo que os permita manter contato com todos eles.

"Hoje, a maioria das pessoas dispõe de formas demais de comunicação", disse Marco Boerries, vice-presidente sênior divisão Connected Life, do Yahoo, à Reuters. "Para manter contato com todo mundo, é preciso recorrer a muitos sites diferentes", afirmou.

O Yahoo anunciou na terça-feira que estaria introduzindo uma nova ferramenta chamada oneConnect, que adapta certas porções dos mais populares serviços de Web --tanto do Yahoo quanto de rivais como Microsoft, Google ou Facebook-- às telinhas dos celulares.

O oneConnect unifica os contatos pessoais do usuário em um ponto único, o celular, e demonstra os progressos realizados pelo Yahoo no mercado de Internet móvel, que vem se desenvolvendo rapidamente, enquanto a empresa se esforça por superar uma série de revezes sofridos em sua batalha contra o Google nos setores de buscas e publicidade online.

Boerries disse que as grandes operadoras mundiais de telefonia móvel haviam concordado em usar o oneConnect para enviar e-mails, mensagens instantâneas e atualizações de sites fotográficos e de redes sociais a centenas de milhões de usuários de celulares.

"Estamos falando de reinventar a comunicação móvel", ele declarou em entrevista antes de sair em viagem para o World Mobile Congress, um grande evento do setor que está em curso em Barcelona. "O usuário pode obter uma vista completa daquilo que está acontecendo em seu mundo."

O oneConnect estará disponível a partir do segundo trimestre. Versões do serviço serão oferecidas para a maioria dos celulares de preço acessível, e o Yahoo afirmou que criará versões especiais do serviço para o iPhone, da Apple, e o BlackBerry, da Research in Motion .

(Reportagem adicional de Georgina Prodhan em Barcelona)