Grandes jornais norte-americanos registram queda de circulação

segunda-feira, 5 de novembro de 2007 19:40 BRST
 

Por Robert MacMillan

NOVA YORK (Reuters) - A circulação de muitos jornais norte-americanos caiu entre abril e setembro, segundo dados divulgados na segunda-feira e que pela primeira vez incluem os leitores da Internet, num esforço das empresas para tornarem suas publicações mais atraentes aos anunciantes.

A circulação paga diária dos jornais caiu em média 2,6 por cento nos dias úteis e 3,5 por cento aos domingos, em comparação com o ano anterior, segundo o Escritório de Auditoria de Circulação.

Nas 25 principais praças, a circulação média paga caiu 2,4 por cento nos dias de semana e 4,6 por cento aos domingos.

O declínio se deve à fuga dos leitores para a Internet, mas também aos esforços dos editores para eliminarem das estatísticas as assinaturas gratuitas ou com descontos, segundo uma porta-voz da Associação de Jornais da América.

Alguns jornais, especialmente na Califórnia e na Flórida, se ressentem do enfraquecimento do mercado imobiliário, enquanto os de Michigan vêem o reflexo das demissões no setor automobilístico.

A circulação do Wall Street Journal (incluídas as assinaturas pagas no site) caiu 1,5 por cento, enquanto o New York Times teve queda de 4,5 por cento.

Os anunciantes tradicionalmente consideram a circulação impressa como um fator determinante para a distribuição dos anúncios, mas as empresas jornalísticas esperam que os números da web mostrem de forma mais fiel o verdadeiro alcance dos jornais.

"Geralmente concordamos que não podemos realmente avaliar o impacto dos jornais em toda a variedade de plataformas de mídia que eles realmente representam", disse Dave Walker, executivo-chefe da empresa Newspaper Services of America, que compra e revende espaço publicitário em jornais.