Pneus "inteligentes" alertam sobre furos

terça-feira, 18 de dezembro de 2007 17:55 BRST
 

Por Julie Steenhuysen

CHICAGO (Reuters) - Um pneu experimental é capaz de perceber danos e alertar os motoristas quanto ao perigo de um furo, informaram pesquisadores norte-americanos na terça-feira, ao anunciar o mais recente avanço na tecnologia automobilística "inteligente".

Os fabricantes já produzem pneus que podem alertar os motoristas quanto a pressão estiver baixa demais, mas pesquisadores da Purdue University, em New Lafayette, Indiana, descobriram uma maneira de fazer de todo o pneu uma espécie de sensor.

"O que temos é um composto de múltiplas camadas de diferentes materiais com propriedades elétricas diferentes, em todo o pneu. Isso nos permite medir alterações em qualquer parte do pneu," disse Gary Krutz diretor do Centro Eletro-Hidráulico da universidade e professor de engenharia agrícola e biológica.

O sistema pode detectar problemas como cortes, furos, defeitos de fabricação, desgaste e posicionamento incorreto.

Krutz e uma equipe da Perdue desenvolveram um sistema de sensores capazes de captar sinais elétricos distintos nas camadas dos pneus, detectando mudanças que poderiam causar pneus murchos ou fatores como pressão do ar irregular, que pode acelerar o desgaste.

"A coisa toda é como uma rosquinha", disse Krutz em entrevista por telefone. "Você o cutuca em qualquer lugar, digamos com um prego, e nós podemos identificar que o pneu foi cutucado, e onde."

Os pneus são feitos de borracha especialmente selecionada, e Krutz diz que a tecnologia explora as propriedades dos materiais mesmos, algo que não havia sido feito no mercado de pneus, até o momento.

Um chip especial no interior do pneu avaliaria as diferentes camadas e transmitiria rapidamente as informações de segurança ao motorista.

"Estamos falando de prazo inferior a um segundo," disse. "Se o pneu começar a se desfazer, como nas bandas de rodagem de caminhões, o motorista receberá um alerta com longa antecedência."

Krutz teve a idéia inspirado por sua filha, uma engenheira de equipamento pesado cujo carro tinha pneus defeituosos que tiveram de ser trocados depois de apenas 16 mil quilômetros.