Setor de fliperama despenca no Japão, com ascensão do Wii

segunda-feira, 19 de maio de 2008 12:48 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - O super-herói japonês Ultraman derrota um inimigo maligno durante um encontro ao vivo em um jogo de fliperama, em Tóquio. Mas a verdadeira batalha do Ultraman está se provando mais difícil: atrair os usuários de volta aos fliperamas do país.

O setor japonês de videogames, que movimenta 6,9 bilhões de dólares ao ano, foi seriamente abalado pelos novos avanços nos videogames, em especial o imensamente popular Nintendo Wii, a mais recente moda a competir pelo tempo e pelo dinheiro da garotada japonesa.

Ao contrário de muitos países, nos quais a ascensão do Sony PlayStation, nos anos 90, arruinou o setor, no Japão os fliperamas mostraram mais resistência, ajudados por uma maior variedade de máquinas e pelo alto movimento do tráfego de pedestres nas cidades lotadas.

Mas agora algumas das maiores cadeias de fliperamas decidiram fechar muitas de suas lojas.

"Os fliperamas são dispendiosos, ruidosos e repletos de fumaça de cigarros", disse Gene Sato, 15, acrescentando que prefere economizar seu dinheiro para ir a um parque temático. "Além disso, posso ficar em casa e jogar o NBA Live no PlayStation 3."

O Wii, lançado no final de 2006, introduziu jogos inovadores que fazem com que os jogadores saltem de um lado para o outro ao simular boxe, esqui e outros esportes.

Isso roubou dos fliperamas uma das vantagens mais importantes que costumavam deter sobre os aparelhos domésticos --o fato de que eram melhores para os jogos que requerem grande atividade, como o Dance Dance Revolution, grande sucesso da Konami, dizem analistas.

"Um grande elemento do problema é a inovação, e no Japão é muito claro que a Nintendo vem sendo a líder em inovação", disse Jay Defibaugh, analista do Credit Suisse.

Mas a dificuldade não deriva apenas do Wii. Funcionários do setor e analistas apontam para uma longa lista de outros culpados.

Com as TVs de tela larga que chegaram aos domicílios de todo país e os jogos com recursos gráficos avançados amplamente disponíveis, a experiência que um fliperama tradicionalmente oferecia pode ser reproduzida sem dificuldade em casa.

Os analistas também estimam que a vasta maioria das crianças e adolescentes japoneses disponham de aparelhos de videogame portáteis como o Nintendo DS ou o PlayStation Portable.

 
<p>Uma propaganda do novo jogo Wii Fit, da Nintendo, &eacute; exibida durante lan&ccedil;amento do game em Nova York, dia 19 de maio.O super-her&oacute;i japon&ecirc;s Ultraman derrota um inimigo maligno durante um encontro ao vivo em um jogo de fliperama, em T&oacute;quio. Mas a verdadeira batalha do Ultraman est&aacute; se provando mais dif&iacute;cil: atrair os usu&aacute;rios de volta aos fliperamas do pa&iacute;s. Photo by Shannon Stapleton</p>