Ações da Take-Two disparam além da oferta da Eletronic Arts

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008 17:11 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - As ações da Take-Two Interactive Software subiam em 42 por cento na segunda-feira, o que sugere que a Electronic Arts ou outro concorrente talvez tenha de melhorar a oferta de 1,9 bilhão de dólares pela fabricante responsável por "Grand Theft Auto".

"Acreditamos que exista uma boa chance de que o acordo possa ser fechado por valor superior ao da oferta atual", afirmou a Cowen & Co. em nota de pesquisa.

"Acreditamos que a Electronic Arts considere a Take-Two como um ativo estratégico, e possa estar disposta a pagar ligeiramente mais do que sua oferta atual, se bem que não muito mais."

As ações da Take-Two subiram em 9,07, para 26,43 dólares, e superaram a oferta de 26 dólares por ação apresentada pela Electronic Arts no domingo, que foi considerada "amistosa". A Take-Two definiu a oferta como "insuficiente".

Diversos analistas de Wall Street melhoraram sua classificação da Take-Two, entre os quais Michael Pachter, da Jedbush Morgan, que agora recomenda manutenção das ações da empresa (antes recomendava venda).

Ele disse acreditar que os investidores na Take-Two virão a considerar que "uma venda é a melhor opção para eles".

"Estamos espantados e impressionados com a oferta, e nossa recomendação de venda estava errada. Depois de numerosos boatos que se provaram falsos sobre a aquisição da Take-Two, nos últimos anos, uma oferta séria e confiável enfim foi apresentada", ele afirmou em nota aos clientes.

A EA apresentou sua oferta de 26 dólares por ação depois que uma proposta anterior, de 25 dólares, foi rejeitada pela Take-Two. A EA disse que a rejeição das propostas pelo conselho da Take-Two a havia convencido a apresentar uma oferta publicamente, para tentar atrair os acionistas da rival.

"Nosso objetivo era uma aquisição amistosa. Nas próximas etapas, adoraríamos conversar com os executivos e o conselho da Take-Two e concluir uma transação", disse Warren Jenson, vice-presidente da EA, em conversa telefônica com analistas na segunda-feira.

A oferta é uma resposta da EA à fusão entre a Activision e a subsidiária de videogames da gigante francesa da mídia e telecomunicações Vivendi, em uma transação de 18 bilhões de dólares anunciada em novembro que deve derrubar a EA de seu longo período como líder do mercado.

(Reportagem de Franklin Paul)