Regras para vídeo na Web da China ameaçam empresas menores

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008 11:23 BRST
 

Por Sophie Taylor

XANGAI (Reuters) - O mais recente esforço da China para reforçar seu controle sobre a Internet e reprimir a pornografia e o debate político online deve gerar reacomodação no setor de vídeo do segundo maior mercado mundial de Internet.

Os investidores estrangeiros que estão à procura do novo YouTube provavelmente hesitarão antes de investir nos mais recentes talentos da Web chinesa, o que permitirá que empresas mais antigas e estabelecidas controlem o mercado.

As autoridades chinesas anunciaram que apenas empresas estatais ou sob controle estatal podem solicitar licenças de transmissão de vídeo online, mas a falta de clareza quanto a essa definição e a incerteza sobre o grau de severidade com que Pequim aplicará as regras deixaram muita gente no setor confusa.

"As regras certamente afetarão o investimento estrangeiro no mercado de vídeo online e o sentimento dos investidores estrangeiros", disse um empresário que opera na China e tem 10 anos de experiência de trabalho em um grande grupo norte-americano de capital para empreendimentos.

"Se existir muito conteúdo indesejável online e você tentar derrotá-lo de vez, também correrá o risco de retardar o desenvolvimento do setor em geral... isso é súbito demais", acrescentou.

Outros prevêem uma reacomodação, já que pelo menos algumas das dezenas de empresas que distribuem vídeos online, incapazes de obter o capital necessário ou de formar parcerias com empresas estatais, podem se ver forçadas a fechar as portas.

"Estou certo de que haverá reacomodação. O processo precisará de alguns meses para ser definido, e no período isso acarretará certa incerteza quanto ao ambiente de investimento", disse Victor Koo, presidente-executivo do Youku.com, um site de vídeo, e ex-presidente do grande portal chinês Sohu.com .

Um dos motivos de confusão é a definição que as regras darão aos termos "estatal" e "sob controle estatal."

Diversos dos mais populares sites de vídeo da Web chinesa, entre os Tudou.com, 56.com e UUSee.com, contam com o apoio de pesos pesados do setor internacional de capital para empreendimentos, como Sequoia Capital, Steamboat Ventures and IDG.