Yahoo faz novos acordos, mas segue negociando com a Microsoft

quarta-feira, 4 de junho de 2008 15:24 BRT
 

Por Michele Gershberg e Paul Thomasch

NOVA YORK (Reuters) - O Yahoo anunciou uma nova série de acordos publicitários, nesta quarta-feira, em um esforço para aliviar a pressão dos acionistas enquanto a empresa continua "envolvida" em negociações com a Microsoft .

Susan Decker, vice-presidente do Yahoo, revelou novos parceiros publicitários que variam do Wal-Mart Stores à rede CBS, enquanto o grupo de Internet enfrenta pressões do bilionário investidor Carl Icahn e de outros acionistas devido ao fracasso das negociações quanto à oferta de aquisição de 47,5 bilhões de dólares apresentada pela Microsoft.

"As conversações, o envolvimento, continuam", disse Decker na conferência Advertising 2.0, em Nova York. "Existem muitas maneiras pelas quais uma combinação com a Microsoft poderia ser bastante benéfica".

Decker não chegou a afirmar se essas conversas giravam em torno de uma fusão completa ou de um acordo parcial. Ela afirmou que as negociações anteriores, canceladas no começo de maio, não haviam tratado de outras questões além do preço, como por exemplo a garantia de que a transação fosse aprovada.

"O que estamos fazendo agora é reformular completamente o Yahoo", disse Decker, em referência às parcerias publicitárias e indicando maneiras de ativar o que ela definiu como "maior rede social latente" de visitantes e usuários de e-mail em sites do Yahoo.

Icahn lançou uma batalha acionária contra o comando do Yahoo, acusando o conselho de ter afastado a Microsoft, nas vésperas da assembléia geral de acionistas, marcada para o dia 1 de agosto.

Ele mencionou detalhes sobre um processo aberto por acionistas esta semana, segundo o qual Yahoo havia adotado um dispendioso plano de indenizações por demissão, em caso de tomada de controle acionário, o que muitos críticos apontam como motivo do fracasso da transação.

Decker defendeu o plano, afirmando que o objetivo era manter intacta a base de funcionários da empresa, o principal ativo do grupo em qualquer transação.