Google fecha acordo com a Nasa por mais espaço

quinta-feira, 5 de junho de 2008 15:24 BRT
 

Por Eric Auchard

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Google fechou acordo para expandir o espaço de seus escritórios em 50 por cento, usando o terreno de uma antiga base aérea naval transformada em centro de pesquisa espacial, perto de sua sede no Vale do Silício (EUA).

O líder da Internet e a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (Nasa) anunciaram na quarta-feira que o Google pode construir em 17 hectares do Ames Research Center, da Nasa, em Mountain View, Califórnia, sob um contrato de locação que pode se estender a até 90 anos.

O terreno não-incorporado existente entre o Moffett Field, a sede Googleplex e as regiões alagadiças na costa da baía de San Francisco oferece espaço para que o Google construa até 111,5 mil metros quadrados de escritórios e instalações de pesquisa.

Nos termos do contrato de locação, o Google pagará à Nasa um aluguel anual básico inicial de 3,66 milhões de dólares, baseado em uma avaliação de mercado justa para o terreno, localizado em uma das porções nobres do Silicon Valley, anunciaram a empresa e a agência governamental em comunicado conjunto.

O contrato faz do Google o maior inquilino do centro de pesquisa espacial, de acordo com um porta-voz da Nasa. Os termos de locação determinam aumentos periódicos de aluguel e prazo inicial de 40 anos, com opção de renovação a cada 10 anos, de acordo com as partes.

A Nasa planeja usar os proventos para ajudar a custear a manutenção e melhorias no centro Ames, hoje usado como base aérea de operações limitadas e cujo terreno abriga 40 inquilinos, entre os quais 30 empresas, seis organizações sem fins lucrativos e diversas extensões de campi universitários. A área total do complexo é de 800 acres, disse o porta-voz.

Michael Mewhinney, porta-voz da Nasa, disse que o pagamento de aluguéis pelo Google ajudaria a bancar os sete milhões de dólares anuais de custo operacional da base aérea e de outras instalações do centro de pesquisa Ames. A agência já recebe quatro milhões de dólares anuais em aluguéis das outras entidades inquilinas.

Para se qualificarem como inquilinas, as organizações, comerciais ou sem fins lucrativos precisam estar envolvidas em atividades relacionadas à agenda de pesquisas da Nasa.