Microsoft lança serviços de Web vinculados ao Windows

quarta-feira, 7 de novembro de 2007 13:33 BRST
 

Por Daisuke Wakabayashi

SEATTLE (Reuters) - A Microsoft lançou na terça-feira um pacote de serviços gratuitos de Internet que se conectam ao sistema operacional Windows, o que representa um elemento chave na estratégia da empresa para manter o domínio do software em meio à expansão das operações da empresa na Web.

O pacote de serviços "Windows Live", lançado em setembro na versão de testes, oferece em apenas download versões atualizadas de aplicativos de e-mail, mensagens instantâneas, fotos, blogs e planejamento de eventos.

Como parte do novo pacote de software, os usuários podem usar um aplicativo baixado para as máquinas o qual dá acesso a suas contas de Webmail --um programa semelhante ao Office Outlook usado em muitas empresas--, eliminando a necessidade de recorrer ao browser para verificar, ler ou responder e-mails.

Os usuários de computadores equipados com o Windows poderão, da mesma forma, salvar fotos nos discos rígidos doscomputadores ou divulgá-las na Web com o Windows Live Photo Gallery, e tudo com apenas um clique.

Diante de concorrentes cujos planos envolvem substituir o software tradicional da Microsoft, que opera instalado no disco rígido do computador do usuário, por um software fornecido via Internet, a empresa enfrenta um dilema que envolve partes essenciais dos negócios.

Ela precisa decidir se mergulha de cabeça nos serviços fornecidos via Web, em detrimento de suas linhas mais lucrativas, Windows e Office, ou se vai ignorar a transição para os serviços via Web, correndo o risco de desatualização nos segmentos que geram a maior parte dos lucros.

A solução da Microsoft é encontrar uma posição intermediária entre as duas opções, com uma estratégia designada como "software mais serviços". A idéia envolve desenvolver novos serviços via Web que complementem, sem substituir, o software tradicional.

"A Microsoft não pode adotar uma abordagem completamente nova quanto aos serviços via Web porque precisa proteger o Windows e o Office", disse Toan Tran, analista da Morningstar.