Lentidão no mercado de jogos para celular é culpa de fabricantes

sexta-feira, 30 de novembro de 2007 15:07 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O fracasso das fabricantes de jogos em focar no segmento de smartphones ajudou a diminuir a demanda por games para celulares nos últimos meses, afirmou nesta quinta-feira o presidente-executivo da Electronic Arts, John Riccitiello.

O executivo também mencionou a queda na demanda por celulares na América do Norte, a frustração dos consumidores com o processo de download e o fato de que as produtoras criam jogos que são complexos demais para usar em celulares.

"A desaceleração que vimos no trimestre passado é, em parte, culpa do próprio setor", ele disse durante a Reuters Media Summit.

"O interessante, e jamais vou compreender como isso se tornou possível, é que todas as produtoras de jogos que trabalham com celulares ignoraram o segmento dos celulares inteligentes", declarou ele, incluindo sua própria empresa na avaliação.

Riccitiello apontou para a crescente popularidade de celulares inteligentes como o BlackBerry, da Research in Motion, o iPhone, da Apple, e o Treo, da Pal .

Ele antecipa que essa lacuna no mercado será preenchida, mas disse que o fato de ela ter surgido é ainda mais espantoso se for levado em conta que os celulares inteligentes, os aparelhos de maior capacidade no mercado, seriam mais apropriados para jogos, porque em geral oferecem telas de tamanho superior à média.

O executivo também mencionou produtos de mau desempenho, como um jogo de futebol de sua própria empresa que não funcionava bem em celulares porque o controle era difícil nos botões projetados primordialmente para chamadas telefônicas.

Segundo Riccitiello, a próxima área de crescimento nos jogos para celulares viria de títulos que os jogadores baixariam para computadores e transfeririam a seus celulares por meio de cartões de memória ou cabos, uma prática conhecida como "sideloading".

Opções como essa, raramente disponíveis hoje em dia, atrairiam usuários que não gostam de baixar jogos para seus celulares diretamente, já que isso significa que eles precisam pagar de novo por seus jogos favoritos, quando adquirem um novo aparelho.

(Por Sinead Carew)

 
<p>O presidente-executivo da Eletronic Arts, John Riccitiello. O executivo afirmou nesta quinta-feira que o fracasso das fabricantes de jogos em focar no segmento de smartphones ajudou a diminuir a demanda por games para celulares nos &uacute;ltimos meses. Photo by Brendan Mcdermid</p>