Globalive estuda planos de telefonia e dados a preço fixo

terça-feira, 5 de agosto de 2008 17:27 BRT
 

Por Wojtek Dabrowski

TORONTO (Reuters) - A Globalive Communications, empresa de telecomunicações de capital fechado que está a caminho de se tornar a quarta operadora nacional de telefonia móvel do Canadá, avalia oferecer serviços de voz e dados a preços fixo, enquanto se prepara para a batalha por mercado contra as três grandes operadoras de telefonia do país.

"Estamos muito entusiasmados com o potencial dos planos de preço fixo no momento", disse Anthony Lacavera, presidente-executivo da Globalive, em entrevista à Reuters.

A empresa pretende atender a pequenas e médias empresas, além do mercado de pessoa física, por meio de "ao menos" duas marcas, declarou ele.

Depois que o leilão de freqüências de telefonia celular do Canadá se encerrou no mês passado, com a arrecadação de 4,25 bilhões de dólares canadenses (4,1 bilhão de dólares), a Globalive anunciou que havia feito uma oferta de 442 milhões de dólares canadenses e que havia conquistado freqüências em todo o país, fora da província de Quebec, de acordo com resultados provisórios.

"Gostaríamos de estabelecer presença nacional", disse Lacavera, mas se recusou a discutir quaisquer parcerias que a Globalive pudesse estar explorando.

"Continuamos abertos a discussões com os interessados quanto a possíveis parcerias e acordos de distribuição", ele disse. Em seu esforço por conquistar espaço no mercado canadense de telefonia móvel, a Globalive terá de enfrentar a BCE, a Telus e a líder no mercado local Rogers Communications. Elas respondem por quase todos os assinantes de telefonia celular daquele país.

No entanto, os canadenses vêm se queixando dos preços elevados, dos contratos longos e do que vêem como falta de concorrência no mercado de telefonia móvel, enquanto as três grandes operadoras se queixam de que a forte concorrência entre elas prejudica suas margens de lucros.

"Nós conhecemos e respeitamos a força de seus negócios", disse Lacavera sobre as três grandes. "Não há solução mágica para concorrer com elas", completou. Para ele, os canadenses querem contas simplificadas, contratos flexíveis e bons serviços ao cliente e ele prometeu que isso será o que a Globalive pretende oferecer.