EUA deveriam rejeitar fusão entre Comcast e TWC, diz New York Times

terça-feira, 27 de maio de 2014 14:13 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O reguladores dos Estados Unidos deveriam contestar a proposta de fusão de 45 bilhões de dólares dos dois maiores provedores a cabo norte-americanos, Comcast e Time Warner Cable, disse o New York Times em um editorial nesta terça-feira.

O editorial, intitulado "Uma fusão a cabo indo longe demais", disse que havia boas razões para que o Departamento de Justiça e a Comissão Federal de Comunicações bloqueassem a proposta de compra da Time Warner Cable pela Comcast. O Times citou limitada competição no mercado de Internet de alta velocidade e o poder de negociação da Comcast com empresas de conteúdo para a web e programadores de TV.

"A fusão irá concentrar muito poder de mercado nas mãos de uma companhia, criando um gigante de telecomunicações como o país não via desde 1984, quando o governo forçou a cisão do monopólio de telefonia da AT&T", disse o editorial.

"Ao comprar a Time Warner Cable, a Comcast se tornaria um guardião do que os consumidores assistem, leem e escutam".

A Comissão Federal de Comunicações está revendo se a fusão é de interesse público, e o Departamento da Justiça irá decidir se cumpre a lei antitruste. Grupos de interessse público e alguns parlamentares se opuseram à combinação.

A Comcast tem argumentado que o negócio enfrenta competidores poderosos como o Google e operadoras de telefonia celular como a AT&T, e tem salientado que a Comcast e a Time Warner Cable não competem diretamente em qualquer mercado.

(Por Alina Selyukh)