Operadorade telefonia de Slim deve pagar US$123 milhões ao Equador

sexta-feira, 6 de junho de 2014 18:27 BRT
 

QUITO (Reuters) - A Claro, subsidiária da América Móvil no Equador, deve pagar 123 milhões de dólares em impostos como parte de um acordo numa batalha legal entre a empresa e o país andino, disse nesta sexta-feira uma autoridade local citada pelo jornal Ecuadorean.

A Corte Suprema do Equador ficou do lado do governo na disputa, decidindo que a gigante de telecomunicações devia impostos do período de 2003 a 2006.

"Neste caso a corte decidiu a favor do Estado, então esperamos que a empresa proceda com o pagamento devido", disse a diretora da agência tributária equatoriana, Ximena Amoroso, ao jornal local El Telegrafo.

Porta-vozes da Claro não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

A decisão é parte da batalha legal de seis anos entre o país e a Claro, que no ano passado pagou ao Equador 113,5 milhões de dólares em impostos devidos entre 2003 e 2006. O governo, no entanto, disse que a Claro devia mais.

A Claro é a maior operadora de celular do Equador, com uma fatia de mercado de 67,8 por cento e cerca de 17,8 milhões de assinantes. Sua controladora, a América Móvil, detida pelo bilionário mexicano Carlos Slim.

(Por Alexandra Valencia)