Facebook expande perfis de usuários com foco em publicidade

quinta-feira, 12 de junho de 2014 09:42 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Facebook está expandindo os perfis internos de usuários que sustentam seu sistema de publicidade direcionada, pela primeira vez, incluindo informações pessoais com base em atividades que não ocorreram dentro dos limites de sua rede social.

Apesar de o Facebook ter mantido por muito tempo perfis internos de usuários com base nos comentários que fazem e as mensagens que eles "curtem" dentro de sua rede social, a empresa vai agora detalhar esses perfis com informações com base em alguns dos sites externos e aplicativos móveis que seus usuários usam. Esse movimento poderia inflamar ainda mais as preocupações sobre a forma como o Facebook trata a privacidade pessoal.

Os perfis avançados permitirão que anunciantes ofereçam anúncios mais relevantes, disse o Facebook em um post de blog anunciando a mudança na quinta-feira.

Se um usuário do Facebook busca uma nova televisão em um site externo ou dentro de um aplicativo móvel, o seu perfil agora pode indicar um interesse em televisores e em eletrônica, tornando mais fácil para os anunciantes lançando dispositivos eletrônicos chegarem a esse usuário no Facebook.

O Facebook já tem acesso a muitas dessas informações por meio de ferramentas que usa para medir o desempenho de seus anúncios, bem como através de "plug-ins" que integram recursos do Facebook em sites de terceiros, mas a empresa não tinha até agora incorporado os dados em seus perfis de usuários com foco em publicidade.

Para acabar com potenciais preocupações sobre a privacidade, o Facebook vai pela primeira vez dar aos usuários a capacidade de rever e editar os seus perfis de publicidade interna. Ao clicar em um botão ao lado de anúncios do Facebook, um usuário pode ver todos os "interesses" em seu registro, remover categorias indesejadas e adicionar quaisquer categorias desejadas.

O Facebook disse que também irá fornecer um link para um site de indústria, que permitirá que os usuários não tenham suas atividades em sites monitorados, bem como um link para os controles apropriados dentro de seus smartphones para eliminar rastreamento de aplicativos móveis.

As novas capacidades de anúncio ocorrem enquanto o Facebook se esforça para elevar sua receita de publicidade em meio a concorrência do Google e abordam preocupações persistentes sobre a privacidade pessoal na rede social número 1 do mundo.

Em abril, o diretor executivo Mark Zuckerberg anunciou novos recursos que permitem aos usuários limitar a quantidade de informações pessoais que eles compartilham com aplicativos móveis.

(Reportagem de Alexei Oreskovic)