CEO da Microsoft sinaliza mudanças, adia conversas sobre corte de empregos

quinta-feira, 10 de julho de 2014 16:49 BRT
 

SEATTLE (Reuters) - O presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella, adiou fazer qualquer comentário sobre cortes de empregos amplamente esperados na empresa de software na quinta-feira, depois de circular um memorando aos funcionários prometendo "achatar a organização e desenvolver processos de negócios mais magros."

Nadella disse que iria tratar de questões organizacionais e financeiras detalhadas para o novo ano financeiro da empresa, que começou no início deste mês, quando a Microsoft apresentar os lucros trimestrais em 22 de julho.

"Haverá muitas oportunidades para eu falar mais sobre os nossos planos fiscais específicos no dia 22", disse Nadella em entrevista por telefone.

Desde que absorveu a divisão de celulares da Nokia neste ano, a Microsoft tem 127 mil funcionários, muito mais do que os rivais da Apple e Google. O mercado espera que Nadella faça alguns cortes, que representariam as primeiras grandes demissões da Microsoft desde 2009.

"Com a recente conversa no mercado sobre possíveis cortes de pessoas na Microsoft, era importante para Nadella estar visível e definir um tom otimista para os próximos meses, especialmente na esteira da integração da Nokia", disse Daniel Ives, analista da FBR Capital Markets.

Em um memorando enviado aos funcionários na sexta-feira e publicado no site da Microsoft, Nadella expôs a sua visão para a empresa cinco meses depois de assumir o cargo do antigo CEO, Steve Ballmer.

Mais notadamente, ele descreveu a Microsoft como "uma empresa de produtividade e plataforma" focada em computadores móveis e computação em nuvem, um avanço sutil na reinvenção de Ballmer da Microsoft como empresa de "dispositivos e serviços", o que poderia sinalizar menos ênfase em dispositivos de fabricação.

Nadella não entrou em detalhes sobre mudanças específicas que planejou para a Microsoft, mas sinalizou que a mudança era necessária.

"Nada está fora da mesa na forma como pensamos em mudar a nossa cultura para cumprir esta estratégia central", escreveu Nadella no memorando.   Continuação...