Microsoft cortará 18 mil empregos neste ano em remodelagem de Nokia

quinta-feira, 17 de julho de 2014 11:15 BRT
 

SEATTLE (Reuters) - A Microsoft disse nesta quinta-feira que vai cortar até 18 mil empregos neste ano, ou 14 por cento de sua força de trabalho, conforme remodela a recém-adquirida unidade de telefonia Nokia e se reestrutura como uma empresa de computação e de softwares mais voltados para dispositivos móveis.

Os cortes mais profundos que o esperado são os maiores na história de 39 anos da companhia, e são anunciados cinco meses após a chegada do presidente-executivo, Satya Nadella, que delineou planos para um negócio mais enxuto em um memorando aos funcionários na semana passada.

"Vamos simplificar a forma como trabalhamos para impulsionar maior prestação de contas, para que nos tornemos mais ágeis e para que nos movimentemos mais rápido", escreveu Nadella aos funcionários em um memorando divulgado nesta quinta-feira.

"Pretendemos ter menos camadas de administração, tanto de cima para baixo quanto para os lados, para acelerar o fluxo de informações e a tomada de decisão."

O tamanho dos cortes foi bem visto por Wall Street, que enxergava uma Microsoft inchada sob o comando do presidente anterior, Steve Ballmer. A empresa passou a contar com 127 mil funcionários após a absorção de Nokia neste ano.

"É cerca do dobro do que o mercado estava esperando", disse o analista Daniel Ives, da FBR Capital Markets. "Nadella está limpando o convés para o novo ano fiscal. Ele está limpando parte da bagunça que Ballmer deixou."

As ações da Microsoft saltaram de 3 por cento, para 45,40 dólares, nas negociações pré-mercado, atingindo seu nível mais alto desde o boom da ações de tecnologia de 2000.

Cerca de 12.500 demissões virão da eliminação de sobreposições com a Nokia, que a Microsoft adquiriu em abril por 7,2 bilhões de dólares. A Microsoft não disse quantos cortes virão da Nokia e quantos serão provenientes de operações existentes. A compra da divisão de celulares da Nokia acrescentou 25.000 pessoas à folha de pagamento da Microsoft.

Os cortes relacionados à Nokia eram amplamente esperados. A Microsoft afirmou, quando fechou o negócio, que cortaria 600 milhões de dólares por ano em custos em um prazo de 18 meses após o fechamento da aquisição.   Continuação...