Fusão entre TIM e GVT no Brasil não está na agenda no momento, diz CEO da Tel Italia

quarta-feira, 23 de julho de 2014 12:42 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A ideia de fusão entre a GVT, operadora de telecomunicações controlada pela francesa Vivendi, e a TIM Participações não está na agenda no momento, embora não possa ser descartada, disse nesta quinta-feira o presidente-executivo da Telecom Italia, que é dona da TIM, Marco Patuano.

Segundo ele, é impossível evitar especulações a respeito de uma união entre GVT e TIM no Brasil, negócio que teria sinergias "óbvias".

Mas agora a TIM está concentrada em executar seu plano em telefonia móvel, enfatizou o executivo, que se reuniu nesta manhã com a presidente Dilma Rousseff para reforçar o compromisso do grupo italiano com o mercado brasileiro.

SÓCIA ESPANHOLA

Segundo Patuano, a Telecom Italia precisa ter uma estratégia de negócios que seja independente de seus acionistas, e esse é o caso envolvendo a sócia espanhola Telefónica.

A Telefónica se movimentou na semana passada para reduzir sua fatia na Telecom Italia, no que tende a aplacar reguladores sobre preocupações antitruste no Brasil e possivelmente acelerar a consolidação no mercado brasileiro.

A espanhola anunciou a venda de 750 milhões de euros em bônus conversíveis em ações da Telecom Italia, reduzindo sua fatia na companhia. A empresa também tentou apaziguar reguladores brasileiros ao retirar seus dois representantes no Conselho da Telecom Italia em dezembro, para evitar conflitos de interesse.

O ministro das Comunicações brasileiro, Paulo Bernardo, disse que "com certeza" a Telefónica está se esforçando para reduzir preocupações antitruste no país.   Continuação...

 
Sede da Telecom Italia em Milão. 3/12/2008. REUTERS/Stefano Rellandini