Telefónica oferece R$20 bi por GVT, unidade brasileira da Vivendi

terça-feira, 5 de agosto de 2014 07:38 BRT
 

MADRI, 5 Ago (Reuters) - A espanhola Telefónica ofereceu 20,1 bilhões de reais pela GVT, unidade brasileira da francesa Vivendi, em uma estratégia para fortalecer sua liderança no mercado de telecomunicações móveis no país.

A medida vem após a Vivendi, liderada pelo presidente de seu Conselho de Administração e maior acionista Vincent Bollore, dizer no fim de junho que gostaria de manter seu último ativo restante de telecomunicações, apesar de se reposicionar como uma empresa de mídia.

Em comunicado, a empresa francesa disse que nenhuma de suas unidades está à venda, mas que irá considerar a oferta da Telefónica na próxima reunião de seu Conselho.

A Telefônica Brasil disse que a oferta consiste em 11,96 bilhões de reais em pagamento em dinheiro mais novas ações de emissão da companhia representando 12 por cento da Telefônica Brasil após a aquisição da GVT.

Em um esforço para cortar o custo do acordo, a Telefónica ofereceu à Vivendi a chance de adquirir 8,3 por cento de participação na Telecom Italia.

O Brasil, onde a Telefónica controla a maior operadora de telefonia móvel, a Vivo, é um mercado crucial para a gigante das telecomunicações espanhola, uma vez que representa seu segundo maior gerador de caixa e tem potencial de crescimento diferente de mercados saturados como os de Alemanha e Grã-Bretanha.

A compra da GVT ajudaria a espanhola a se fortalecer no mercado de telefonia fixa e Internet banda larga, mercado em que ocupa a terceira posição no Brasil, com fatia de 18,4 por cento. A GVT é líder no Brasil em Internet de alta velocidade e televisão conectada.

A Telefónica cobiça o ativo há tempos, tendo perdido uma guerra de ofertas inicial para comprar a GVT para a Vivendi em 2009.

(Reportagem de Leila Abboud e Sarah Morris)