Samsung fará menos encomendas a fornecedor chinês após revelação sobre trabalho infantil

terça-feira, 5 de agosto de 2014 13:09 BRT
 

(Reuters) - A Samsung Electronics disse que fará 30 por cento menos negócios com uma fornecedora de peças após denúncias sobre o emprego de mão de obra infantil afetarem a empresa sediada na China, marcando a mais forte objeção da gigante de TI à prática ilegal até hoje.

Em julho, a Samsung Electronics suspendeu negócios com a Dongguan Shinyang Electronics, uma subsidiária integral da Shinyang Engineering, depois que o grupo norte-americano China Labor Watch disse ter encontrado cinco crianças trabalhando sem contratos na fornecedora sediada em Guangdong.

A Samsung disse que as autoridades chinesas determinaram que, embora a Dongguan Shinyang não tenha empregado diretamente as crianças, uma subcontratada as empregou por meio de uma agência de terceirização de trabalhadores.

"A Samsung decidiu mesmo assim tomar medidas contra a Dongguan Shinyang para responsabilizar o fornecedor por falhar em monitorar seus subcontratados, de acordo com a política de tolerância zero da Samsung sobre trabalho infantil", disse a fabricante dos populares smartphones Galaxy nesta terça-feira.

A medida para penalizar a fabricante chinesa de capas e peças de smartphones ocorre em meio à crescente pressão sobre a Samsung Electronics para que assegure que seus fornecedores na China cumpram as leis trabalhistas locais.

O uso de trabalho infantil não é raro na China. Outras companhias multinacionais de tecnologia, incluindo a Apple, foram impactadas por revelações de abusos.

(Por Se Young Lee)