Deutsche Telekom rejeita oferta da Iliad, mas deixa porta aberta para venda nos EUA

quinta-feira, 7 de agosto de 2014 07:54 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - A Deutsche Telekom rejeitou uma oferta da Iliad por seu negócio de telefonia móvel nos Estados Unidos e disse que reguladores no país devem ajudar empresas menores a competir contra rivais maiores se sua fusão não for permitida.

A Deutsche Telekom tem cerca de um terço de sua receita e um quinto do lucro nos Estados Unidos, mas acredita que sua subsidiária T-Mobile US carece de massa crítica, frequências e capital para competir com as líderes AT&T e Verizon.

A francesa Iliad avaliará agora se vai melhorar a oferta de 33 dólares por ação por 56,6 por cento da T-Mobile US, possivelmente com a ajuda de sócios, disseram fontes à Reuters.

A companhia alemã tentou vender o negócio duas vezes desde o fim de 2011, apenas para ser frustrada pelo desejo de reguladores norte-americanos do setor em manter quatro operadoras no mercado. As ações da Deutsche Telekom chegaram a cair 5 por cento na quarta-feira, após o último plano de vender a T-Mobile US para a Sprint falhar.

O presidente-executivo da Deutsche Telekom, Tim Hoettges, ainda deixou a porta aberta para uma eventual saída dos Estados Unidos.

"Temos um excelente negócio nos EUA que está crescendo organicamente", disse Hoettges. "No momento, não recebemos oferta (pela T-Mobile US) que nos dê melhores perspectivas de crescimento do que as que já temos", acrescentou.

O lucro trimestral da Deutsche Telekom antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) excluindo itens extraordinários avançou para 4,43 bilhões de euros (5,9 bilhões de dólares), acima da previsão média de 4,35 bilhões de euros, segundo pesquisa Reuters.

Após anos de perdas e da compra da rival de menor porte MetroPCS, a T-Mobile se tornou uma das poucas partes da Deutsche Telekom que está de fato crescendo.