Snowden recebe permissão de residência por três anos na Rússia

quinta-feira, 7 de agosto de 2014 12:34 BRT
 

Por Alexei Anishchuk

MOSCOU (Reuters) - O ex-prestador de serviço da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden, procurado pelos EUA por vazar segredos sobre programas de monitoramento eletrônico, recebeu permissão de residência de três anos da Rússia, disse seu advogado russo nesta quinta-feira.

A decisão foi tomada num momento em que as relações de Moscou com o Ocidente estão no estágio mais tenso desde a Guerra Fria, especialmente por conta das ações da Rússia na Ucrânia. Além disso, os russos embargaram certas importações de alimentos dos EUA, da União Europeia, da Austrália, do Canadá e da Noruega nesta quinta-feira, em resposta às sanções ocidentais.

“A decisão sobre o pedido foi aceita e, assim, com efeito a partir de 1º de agosto de 2014, Edward Snowden recebeu uma permissão residencial de três anos”, disse Anatoly Kucherena. “No futuro, o próprio Edward tomará a decisão sobre se ficará e buscará cidadania russa ou irá para os Estados Unidos." 

Ele disse que Snowden pode buscar a cidadania em 2018, após morar na Rússia por cinco anos, mas acrescentou que o norte-americano ainda não decidiu se quer ficar ou ir embora. 

O porta-voz do Conselho de Segurança da Casa Branca, Ned Price, disse que Snowden precisava retornar aos EUA e enfrentar acusações relacionadas aos vazamentos de informação. 

“O sr. Snowden enfrenta acusações aqui nos Estados Unidos. Ele deve retornar aos EUA assim que possível, onde será submetido a todo o processo devido e proteções”, disse Price. 

Kucherena disse que Snowden estava estudando russo e tinha um emprego na área de TI, mas não forneceu mais detalhes. “Ele é um especialista de TI de alta classe”, disse. 

O advogado disse que a segurança de Snowden era levada a sério, e que ele utiliza guardas particulares para sua proteção.    Continuação...

 
Documento de refúgio do norte-americano Edward Snowden concecido pelo governo da Rússia. 01/08/2013 REUTERS/Maxim Shemetov