CENÁRIOS-Varejo online mira distribuição e transportadoras apostam em ecommerce

terça-feira, 12 de agosto de 2014 12:55 BRT
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - Em um cenário de elevada competição no comércio eletrônico brasileiro, a B2W, maior empresa do setor, avança no mercado de distribuição, ao mesmo tempo em que as companhias de entrega expressa planejam sua expansão com base na crescente dependência do varejo digital.  

Em junho, a companhia controlada pela Lojas Americanas, que opera sites como Submarino e Americanas.com, anunciou a aquisição da Direct Express por 127 milhões de reais. Uma das maiores distribuidoras privadas de pequenos volumes no país, a empresa prestava serviços para rivais da B2W como a Nova Pontocom, do Grupo Pão de Açúcar, e Walmart.com, concorrendo diretamente com os Correios, do governo.

"Foi uma jogada da B2W não somente para deter os ativos (da Direct), mas também para incomodar os concorrentes. Imagine você depender de uma empresa da qual seu concorrente principal é sócio majoritário?", disse o diretor da empresa de pesquisas sobre o varejo online E-bit, Pedro Guasti. 

Com a investida, a B2W também reforçou sua aposta na verticalização das entregas após a compra em 2013 da Click-Rodo, que distribui produtos de mais de trinta quilos. Procurada, a companhia não se manifestou sobre a estratégia.

"As grandes que têm escala, que possam demandar tanta entrega, provavelmente vão caminhar por aí", avaliou Guasti. Ele afirmou que a entrega confiável, rápida e com muita informação de rastreamento ganhará cada vez mais importância para o consumidor, lembrando que a norte-americana Amazon.com, referência para o setor, é cada vez mais reconhecida por sua atuação como distribuidora.

MAIS NEGÓCIOS

Enquanto no Brasil a maior companhia de comércio eletrônico aprofunda sua incursão no mundo das entregas, as empresas de distribuição passam a olhar cada vez mais para o e-commerce como motor de crescimento de suas receitas, também se aproveitando do momento para ganhar os clientes que eram atendidos por empresas compradas pela B2W.   Continuação...