Rival do Instagram para crianças planeja investida agressiva no mercado dos EUA

terça-feira, 19 de agosto de 2014 10:41 BRT
 

OSLO, 19 Ago (Reuters) - O Kuddle, um aplicativo norueguês de compartilhamento de imagens projetado para crianças e que se apresenta como um rival ao Instagram, pode ter um milhão de usuários até o final do ano e planeja uma investida agressiva no mercado norte-americano, disse seu presidente-executivo nesta terça-feira.

O Kuddle, que levantou 2 milhões de dólares em financiamento recentemente e está no processo de captar outros 8 milhões, agora está contratando pessoal no Vale do Silício e já lançou o aplicativo em 9 idiomas, com mais versões sendo desenvolvidas para atender uma demanda inesperadamente forte, disse a empresa.

O aplicativo, que foi lançado este mês, permite que pais monitorem o que suas crianças publicam e mantém restrito o acesso ao conteúdo, impedindo que estranhos vejam e compartilhem fotos. Não há hashtags ou comentários para evitar o bullying online e os "curtir" são anônimos.

A maioria dos usuários do aplicativo estão na Noruega e nos Estados Unidos, mas a empresa também registrou um crescimento significativo em países como a Índia e Arábia Saudita, levando desenvolvedores a acelerar o trabalho em novos idiomas.

"Estamos muito felizes com o crescimento até agora. Tivemos um crescimento médio diário entre 10 e 15 por cento e a aceitação tem sido ótima", disse à Reuters a fundadora e presidente do Conselho, Kathryn Baker.

O aplicativo em si é gratuito e a companhia espera gerar receita com uma futura loja dentro do aplicativos, vendendo dispositivos móveis seguros de algumas das marcas globais líderes, combinados a pacotes de dados adequados a crianças de operadoras de telefonia móvel.

"Estamos em negociações com duas grandes fabricantes internacionais de dispositivos no momento, e também estamos em conversas com diversas grandes operadores europeias por uma assinatura segura de telefone móvel para o Kuddle na qual os pais tenham mais controle sobre o uso de dados de seus filhos", disse o presidente-executivo Ole Vidar Hestaas.

(Por Joachim Dagenborg)