China dá 20 dias para Microsoft oferecer explicações em investigação antitruste

segunda-feira, 1 de setembro de 2014 10:54 BRT
 

PEQUIM, 1 Set (Reuters) - Um regulador chinês antitruste disse nesta segunda-feira que concedeu 20 dias à Microsoft para que responda perguntas sobre a compatibilidade do sistema operacional Windows e do pacote de softwares Office em meio a uma investigação contra a maior companhia de softwares do mundo.

A Administração Estatal para Indústria e Comércio questionou o vice-presidente da Microsoft, David Chen, e deu um prazo à companhia para que faça uma explicação, disse a agência em um curto comunicado em seu website.

A Microsoft é uma entre ao menos 30 companhias estrangeiras que estão sendo examinadas por reguladores antimonopólio da China conforme o governo busca aplicar sua lei antitruste que existe há seis anos. Críticos dizem que a lei está sendo usada injustamente contra empresas estrangeiras, uma acusação que os reguladores negam.

Segundo notícia da mídia estatal nesta segunda-feira, o uso de códigos de verificação pela Microsoft também gerou reclamações de companhias chinesas. O uso deles "pode ter violado a lei antimonopólio da China", de acordo com a agência oficial de notícias Xinhua nesta segunda-feira.

O regulador também repetiu que suspeita que a companhia não revelou completamente questões relacionadas à compatibilidade do software e do sistema operacional.

"(Uma) equipe especial de investigação realizou um inquérito antimonopólio de investigação com o vice-presidente da Microsoft Chen Shi (David Chen), e solicitou que a Microsoft faça uma explicação por escrito dentro de 20 dias", disse o regulador em comunicado em seu website.

Em comunicado, a Microsft disse estar "séria em cumprir as leis chinesas e empenhada em responder às dúvidas e preocupações da Administração Estatal para Indústria e Comércio".

(Por Michael Martina e Matthew Miller)