Montadoras devem respeitar motoristas que rejeitarem novas tecnologias, diz Bill Ford

segunda-feira, 8 de setembro de 2014 20:33 BRT
 

DETROIT (Reuters) - O presidente do Conselho de Administração da Ford Motor, Bill Ford, disse que novas tecnologias que permitem que os carros "conversem" entre si e andem sozinhos podem assustar algumas pessoas, e que, então, a indústria precisa permitir que os consumidores escolham se querem adotá-las.

"Muitas dessas ótimas tecnologias meio que assustam algumas pessoas", disse nesta segunda-feira durante conferência sobre transporte inteligente.

"Algumas pessoas escutam falar sobre 'direção autônoma' e dizem 'meu Deus, eu nunca vou querer entrar em um veículo desse tipo'", acrescentou. "Outras pessoas dizem, 'não quero que meu carro converse com os outros. Isso é terrível'. Temos que fazer isso com cuidado."

A Ford disse que as questões de privacidade serão importantes quando veículos autônomos e conectados forem adotados para reduzir as mortes no trânsito e os congestionamentos. "Acreditamos, na Ford, que ter opção é importante para que as pessoas se sintam confortáveis."

As montadoras estão correndo para desenvolver tais tecnologias que permitem a carros frear automaticamente quando percebem uma colisão iminente ou desacelerar quando um veículo à sua frente alerta que o tráfego parou. Além disso, a empresa de Internet Google está desenvolvendo a tecnologia para um carro totalmente autônomo.

Já a General Motors disse no domingo que irá apresentar um carro em 2016 que se comunica com outros veículos e que também terá um veículo autônomo.

(Por Ben Klayman)