Rocket Internet se junta à enxurrada de aberturas de capital do e-commerce

quarta-feira, 10 de setembro de 2014 08:49 BRT
 

BERLIM, 10 Set (Reuters) - O grupo alemão de capital empreendedor Rocket Internet, que lançou dezenas de start-ups online, traçou planos para uma listagem em bolsa que pode avaliar a companhia em 5 bilhões de euros (6,5 bilhões de dólares), num momento em que busca surfar em uma onda de aberturas de capital do e-commerce.

O anúncio desta quarta-feira dos planos para levantar cerca de 750 milhões de euros através de uma venda de ações vem apenas uma semana depois da Zalando - maior empresa europeia de moda online e que a própria Rocket ajudou a lançar - também ter anunciado sua intenção de abrir capital, o que significa que as duas empresas irão competir por investidores ao mesmo tempo.

A Rocket, com sede em Berlim, disse em comunicado que a oferta seria composta apenas de novas ações, com a empresa utilizando os recursos levantados para financiar o crescimento através do lançamento de novas empresas e injeção de mais capital nas suas empresas existentes.

Uma fonte com conhecimento dos planos disse que a Rocket planeja listar uma fatia de cerca de 15 por cento, avaliando o grupo em cerca de 5 bilhões de euros e tornando bilionários os três irmãos Samwer que possuem 52,3 por cento das ações da Rocket, bem como participações na Zalando.

A enxurrada de aberturas de capital do e-commerce deve ser coroada neste mês com a chinesa Alibaba, cuja oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) deve ser a maior operação do tipo de empresas de tecnologia da história, superando a listagem de 16 bilhões de dólares do Facebook em 2012.

A Rocket quer replicar o sucesso da Amazon.com e Alibaba em mercados que os grupos norte-americano e chinês ainda têm de dominar, como a África, América Latina, Rússia e outras partes da Ásia. No Brasil, a Rocket controla a Dafiti, que ocupa o primeiro lugar no varejo de moda online do país.

Fundada em 2007 pelos irmãos Oliver, Alexander e Marc Samwer, a Rocket está presente em mais de 100 países, tendo somado uma receita de 1 bilhão de dólares em 2013 através de e-commerce e plataformas de compra, os chamados marketplaces, envolvendo desde táxis a entrega de comidas.

(Por Emma Thomasson)