CEO da Apple contra-ataca após varejistas bloquearem pagamentos com Apple Pay

terça-feira, 28 de outubro de 2014 10:55 BRST
 

LAGUNA BEACH Califórnia (Reuters) - O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, rebateu a CVS e a Rite Aid, depois que as redes de farmácias bloquearam o serviço de pagamentos móveis da criadora do iPhone, dizendo que existem vários outros varejistas ao redor do mundo para aceitar o serviço.

O Apple Pay foi lançado há cerca de uma semana e viu mais de um milhão de cartões de créditos registrados nas primeiras 72 horas. O serviço já diz ter mais transações que quaisquer outros métodos de pagamento "sem contato" combinados, disse Cook, citando dados da Visa e da Mastercard.

Estes serviços, com os quais um usuário faz um pagamento segurando um smartphone perto de um terminal especialmente projetado, não conseguiram se popularizar nos Estados Unidos, apesar do apoio do Google e de outros players influentes.

Surgiram notícias durante o final de semana de que as duas varejistas optaram por não usar o Apple Pay, preferindo um sistema rival que cerca de 50 redes varejistas, incluindo Wal-Mart e Best Buy, estão desenvolvendo para uso próprio.

"Temos muitos outros comerciantes para entrarem (no serviço), temos muitos bancos para entrarem e temos o resto do mundo", disse Cook na conferência Digital Live do Wall Street Journal, nas declarações mais extensas da companhia até agora sobre o bloqueio.

A CVS e a Rite Aid não explicaram suas decisões surpreendentes. No entanto, a força que move o desenvolvimento de uma solução de pagamento de propriedade de varejistas é o de evitar o pagamento de taxas de transações de cartão de crédito para companhias como a Visa e a Mastercard, disseram analistas. As taxas varaim entre 2 por cento e 3 por cento dos custos por transação.

(Por Deepa Seetharaman)