Computador Apple original pode obter US$ 600 mil em leilão em dezembro

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 12:44 BRST
 

Por Chris Michaud

NOVA YORK (Reuters) - Um computador Apple em perfeito estado de funcionamento que Steve Jobs, co-fundador da empresa, vendeu na garagem de seus pais em 1976 por 600 dólares irá a leilão em dezembro, quando se espera que seja arrematado por mais de meio milhão de dólares, informou a casa de leilões Christie's nesta segunda-feira.

O Ricketts Apple-1 Personal Computer, assim batizado em homenagem a seu proprietário original, Charles Ricketts, e que será posto à venda no dia 11 de dezembro, é o único Apple-1 ainda existente que se sabe ter sido vendido diretamente por Jobs, então com 21 anos, na casa da família em Los Altos, na Califórnia, declarou a Christie's.

“Tudo começou com o Apple-1 e com esta máquina em especial”, disse Andrew McVinish, diretor de artes decorativas da Christie's.

“Quando você vê uma criança brincando com um iPad ou iPhone, não muitas pessoas sabem que tudo começou com o Apple-1”, acrescentou. “Por isso, ter uma máquina que iniciou a revolução digital é um atrativo muito grande”.

O computador está sendo vendido por Robert Luther, um colecionador do Estado da Virgínia que o comprou em 2004 em um leilão da polícia sem saber todos os detalhes de sua história.

“Eu sabia que tinha sido vendido na garagem de Steve Jobs em julho de 1976, porque eu tinha o cheque cancelado do comprador”, escreveu Luther em um site de financiamento onde pede fundos para um livro sobre a história da máquina.

“Meu computador foi adquirido diretamente de Jobs, e baseado no endereço do comprador no cheque, ele vivia a seis quilômetros e meio de Jobs.”

A máquina será vendida com o cheque cancelado da venda original, assinado por Charles Ricketts e destinado à Apple Computer, no valor de 600 dólares, que mais tarde Ricketts etiquetou como “Adquirido em julho de 1976 de Steve Jobs na garagem de seus pais em Los Altos”.

 
Cabos eletrônicos aparecem perto de logomarca da Apple em Sarajevo. 23/09/2014. REUTERS/Dado Ruvic