TIM nega negociação para venda da empresa, diz que será protagonista em consolidação

quarta-feira, 5 de novembro de 2014 12:30 BRST
 

Por Luciana Bruno

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da TIM Participações, Rodrigo Abreu, negou nesta quarta-feira que haja qualquer tipo de negociação ou acordo para a venda da operadora e declarou que a companhia será "protagonista" do processo de consolidação do mercado, em discurso semelhante ao da rival Oi.

"Não existe nenhum tipo de conversa, negociação, acordo e nada, o que existe é especulação", disse Abreu sobre reportagens veiculadas na semana passada, segundo as quais Oi, Vivo e Claro teriam fechado acordo para uma oferta de compra da TIM.

O executivo declarou que vê com "preocupação" a veiculação desse tipo de informação, uma vez que não se baseia em "nenhum fato".

"É um cenário onde existe qualquer hipótese sobre reconfiguração estratégica e, obviamente, estamos atentos a essas possibilidades", declarou Abreu. "Queremos ser protagonistas nesse processo (...) A atenção principal está focada no nosso plano de longo prazo."

O novo presidente-executivo da rival Oi, Bayard Gontijo, também tem dito que a companhia será protagonista na consolidação do setor de telefonia. A Oi informou em agosto que contratou o banco BTG Pactual para avaliar uma oferta de compra da TIM.

Nesta quarta-feira, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse a jornalistas que representantes das empresas de telefonia Claro, Vivo e Oi negaram a ele terem chegado a acordo para comprar a TIM e dividir seus ativos.

"Conversei com dirigentes das empresas e todos eles negaram as notícias de que tinha sido fechado um acordo. Tem componente muito forte aí que é o mercado financeiro interessado em participar do negócio e ganhar uma boa soma de comissões. Se isso vai ser realizado, se vai ser aprovado pelo governo (federal), tem que ser avaliado do ponto de vista da concorrência", disse Bernardo.

Em reunião com analistas sobre o balanço do terceiro trimestre, o presidente da TIM declarou que a posição da empresa é sólida do ponto de vista financeiro, estratégico e operacional, e que a companhia somente acompanhará oportunidades estratégicas que sejam adicionais a seu plano de crescimento.   Continuação...