Governo português não vai intervir em disputa por Portugal Telecom

quarta-feira, 5 de novembro de 2014 19:30 BRST
 

LISBOA (Reuters) - O governo português não intervirá na disputa pela Portugal Telecom nem se mostrará favorável a nenhum interessado, embora monitore o assunto com atenção dada a dimensão da empresa num setor sensível, disse o primeiro-ministro português.

Pedro Passos Coelho disse a jornalistas nesta quarta-feira que "há diversas empresas que manifestaram o interesse em comprar a Portugal Telecom e algumas quiseram informar previamente o governo (português) do interesse".

"A todas o governo disse: o Estado não interferirá e espera que este processo seja tão transparente e competitivo quanto possível. A Portugal Telecom é uma empresa privada, não há nenhuma intervenção pública nessa matéria", disse Coelho.

Mas ele disse que o fato de o Estado não intervir no processo não quer dizer que o governo não acompanhe a situação.

"Sigo com atenção o que se passa com a Portugal Telecom. Acho que o futuro da empresa é importante para a economia, mas vejo que existem movimentos que não partem do Estado, não são influenciados pelo Estado e que não contarão com a intervenção do Estado no sentido de poder ser mais amigo de uns ou de outros", disse o premiê.

A Zopt, acionista-chave da segunda maior operadora de Portugal, NOS, está pronta a entrar na briga pela Portugal Telecom com uma solução de "interesse nacional" e o valor da empresa, que já tem uma oferta de 7,02 bilhões de euros por parte da francesa Altice, anunciou a Zopt.

A Zopt --empresa-veículo da empresária angolana Isabel dos Santos, que é filha do presidente de Angola, e da empresa de telecomunicações Sonaecom-- tem 50,01 por cento da NOS, que a segunda maior telecom de Portugal.

A brasileira Oi está em processo de fusão com a Portugal Telecom, mas recebeu oferta para vender esses ativos.

O grupo francês Altice fez em 3 de novembro oferta de 7,02 bilhões de euros para comprar os ativos portugueses da Oi, levando as ações da Portugal Telecom a dispararem.

Em 24 de outubro, o Financial Times disse que o fundo de investimento Apax Partners e a empresa de consultoria Bain planejavam fazer uma oferta conjunta à Oi para comprar a Portugal Telecom. A imprensa local também tem dito que a CVC Capital partners está no grupo para fazer a oferta.

(Por Sérgio Gonçalves