Oi quase zera lucro no 3o tri, receitas caem no Brasil e Portugal

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 09:49 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - A operadora de telecomunicações Oi viu expressiva queda no lucro do terceiro trimestre, impactada pelo aumento das despesas financeiras em um período marcado por queda na receita operacional no Brasil e em Portugal.

Entre julho e setembro, o lucro líquido consolidado da companhia foi de 5 milhões de reais, com o resultado atribuído aos controladores somando 7,6 milhões. No mesmo período do ano passado, o lucro havia sido de 172 milhões. No segundo trimestre deste ano a empresa havia sofrido prejuízo de 221 milhões de reais.

O resultado, que leva em conta os números da Portugal Telecom SGPS que passaram a ser consolidados no balanço da companhia a partir de maio, foi afetado por um aumento de 51,3 por cento no resultado financeiro líquido negativo, a 1,2 bilhão de reais, diante de desvalorização cambial e avanço das despesas financeiras.

Impulsionada pela contribuição da operação portuguesa, a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 3 bilhões de reais no período, alta de 40,6 por cento no ano-a-ano.

Na comparação pro-forma, porém, que inclui os dados de Portugal em igual período do ano passado, o Ebitda da Oi sofreu recuo de 1,5 por cento, afetado pela queda na receita operacional líquida em seus dois principais mercados - Brasil e Portugal.

Nos três meses encerrados em setembro, a receita operacional líquida total do grupo somou 8,8 bilhões de reais.

No Brasil, somente, a receita total das operações caiu 5,1 por cento sobre um ano antes, a 6,7 bilhões de reais, atingida, segundo a Oi, pela redução da receita de uso de rede, recuo nas tarifas de chamadas locais e de longa distância, diminuição na base de telefonia fixa e cenário macroeconômico menos favorável.

No segmento residencial brasileiro, as receitas somaram 2,45 bilhões de reais, declínio de 4,4 por cento no ano-a-ano, enquanto na telefonia móvel a queda foi de 6,4 por cento, a 2,18 bilhões.   Continuação...

 
Oi