CORREÇÃO-Sindicato dos funcionários da Portugal Telecom SGPS vai requerer suspensão de assembleia

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015 10:45 BRST
 

(Corrige no 2o parágrafo conversão do horário da assembleia para 13h horário de Brasília, não 17h)

LISBOA (Reuters) - O Sindicato de Trabalhadores da Portugal Telecom (SPTP) vai requerer a suspensão de assembleia geral marcada para esta segunda-feira, exigindo que os acionistas da Portugal Telecom SGPS obtenham mais informações para avaliar se a fusão com a Oi pode ser revertida, afirmando haver indícios de que a operadora brasileira violou o contrato original.

A assembleia geral, que tem como ponto único a deliberação da venda dos ativos portugueses da PT Portugal à Altice, vai ocorrer a partir das 15h (13h pelo horário de Brasília), mas está rodeada de incertezas e poderá culminar num penalizador impasse para os acionistas da PT SGPS e para a Oi, segundo analistas.

A administração da PT SGPS está novamente reunida na manhã desta segunda-feira, após ter feito uma reunião na sexta-feira sobre a possibilidade de suspender ou adiar a assembleia.

"O STPT, na sua qualidade de acionista representado nesta assembleia geral pelo seu presidente, Jorge Manuel Almeida Félix, vai requerer ... a suspensão da sessão da assembleia geral marcada para hoje", disse o sindicato em comunicado.

O requerimento será feito sob o artigo 387 do Código das Sociedades Comerciais de Portugal, que estabelece que, para "além das suspensões normais determinadas pelo presidente da mesa, a assembleia pode deliberar suspender os seus trabalhos".

O sindicato entende que os acionistas da PT SGPS devem avançar com a reversão da fusão. "A possibilidade da fusão com a Oi deverá ser estudada por existirem indícios de incumprimento da Oi suficientes para avançar com a quebra dos contratos", disse o sindicato.

"O STPT subscreve o entendimento de que deverá ser convocada uma nova assembleia geral na qual se possa discutir a anulação da fusão entre a PT e a Oi e a resolução retroativa do contrato", afirmou o presidente do sindicato, Jorge Félix.   Continuação...