CEO do Twitter ganha certo alívio de críticos em Wall Street

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 10:33 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A projeção do Twitter de uma reaceleração no crescimento do número de usuários ajudou a impulsionar os papéis da companhia na quinta-feira, mas a boa vontade vai tirar apenas temporariamente a pressão sobre o criticado presidente-executivo Dick Costolo, disseram analistas.

A companhia de Internet disse na quinta-feira que produtos e parcerias lançados recentemente prepararam o terreno para a empresa ampliar seu público.

Os comentários otimistas, como também a receita do quarto trimestre que superou as projeções de analistas, foram bem recebidos por investidores. O papel do Twitter saltou 9 por cento para 45 dólares na negociação pós-pregão.

"As ações vão estar em alta, pois (o anúncio) foi provavelmente melhor do que o que as pessoas esperavam. Mas agora eles terão que entregar (o prometido)", disse o analista da Wedbush Securities Shyam Patil.

"Você não pode entrar na onda baseado em comentários; é preciso ver os números surgirem", disse ele.

O Twitter tem enfrentado dificuldades para aumentar o número de usuários de seu serviço, levantando questões sobre se é capaz de alcançar a escala do Facebook, que tem 1,39 bilhão de usuários, ou mesmo de aplicativos de mensagens e fotos que crescem rapidamente como o WhatsApp e o Instagram.

O presidente-executivo Costolo está enfrentando críticas crescentes em Wall Street, com muitos analistas e investidores frustrados pelo crescimento lento da companhia e trocas aparentemente constantes no alto escalão da empresa.

O Twitter divulgou uma desaceleração expressiva no crescimento de usuários nos últimos três meses de 2014, adicionando modestos 4 milhões de usuários mensais à sua base, elevando a audiência total para 288 milhões de usuários.

Os executivos do Twitter disseram esperar que o crescimento de usuários vá acelerar no primeiro trimestre, com adição de entre 13 a 16 milhões de novos usuários.

(Por Alexei Oreskovic)

 
Dick Costolo, presidente-executivo do Twitter, durante convenção em Las Vegas. 08/01/2014 REUTERS/Robert Galbraith