Fundos de hedge dos EUA reduziram fatia na Apple antes de alta das ações

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 17:15 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Alguns dos principais fundos de hedge dos Estados Unidos, incluindo o Greenlight Capital de David Einhorn e a Coatue Management de Philippe Laffont, reduziram suas fatias na Apple durante o quarto trimestre, antes da mais forte alta das ações da empresa ocorrida em 2015, de acordo com documentos enviados aos reguladores.

A Apple teve forte alta em 2014, com suas ações subindo quase 38 por cento. Os papéis da companhia estão em alta de mais de 16 por cento no ano até agora e alcançaram um recorde intradia de 128,88 dólares por ação. Na semana passada, o valor de mercado da empresa subiu para acima de 700 bilhões de dólares, mais que o Produto Interno Bruto (PIB) da Suíça.

Apesar de a Apple ser a maior posição do portfolio da Coatue Management, a gestora vendeu 1,7 milhão de ações no fim do trimestre, ou mais de 15 por cento de sua participação, ficando com 8,9 milhões de ações, de acordo com documentos enviados ao regulador publicados na terça-feira.

Em outro documento publicado na sexta-feira, a Greenlight disse ter cortado a participação na Apple em 6,2 por cento, para 8,6 milhões de ações durante o trimestre.

A Soroban Capital Partners, de Eric Mandelblatt, vendeu 4,3 milhões de opções de compra de ações da empresa, liquidando a posição do fundo. E o fundo de hedge da Appaloosa Management, de David Tepper, disse ter dissolvido sua fatia na Apple, enquanto a Omega Advisors, de Leon Cooperman, vendeu 808 mil ações da Apple para ficar com 383.790 papéis no fim do quarto trimestre.

Na semana passada, o investidor bilionário Carl Icahn disse que as ações da companhia deveriam estar sendo negociadas a 216 dólares cada, equivalente a uma capitalização de mercado de 1,26 trilhão de dólares.

(Por Svea Herbst-Bayliss e Sam Forgione)