Prevendo onde estacionar? Israel tem um aplicativo para isso

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015 11:25 BRT
 

TEL AVIV (Reuters) - Em questão de ajudar motoristas, não há falta de tecnologia nos carros desde navegação GPS a sistemas de alerta de colisão. Mas agora startups estão enfrentando uma recorrente fonte de frustração --encontrar uma vaga para estacionar.

Com a indústria de estacionamentos valendo 25 bilhões de dólares ao ano nos Estados Unidos e mais que o dobro disso na Europa Ocidental, não é surpreendente que firmas de alta tecnologia estejam correndo para criar maneiras inteligentes de tornar o processo mais rápido e fácil.

Na Grã-Bretanha, a JustPark fornece um aplicativo móvel que permite que usuários aluguem as vagas particulares das pessoas.

Nos EUA, a SpotHero e a ParkWhiz permitem que usuários encontrem áreas de estacionamento ou reservem vagas para o futuro. A montadora alemã BMW tem testado um serviço similar chamado de ParkNow.

No entanto, companhias israelenses estão adotando uma abordagem diferente ao problema: prevendo onde vagas de estacionamento podem ser encontradas com base em análises de dados móveis.

A Anagog, empresa baseada em Tel Aviv, desenvolveu um aplicativo que pode guiar motoristas para vagas vazias em ruas usando dados em tempo real fornecido por usuários, similar ao que outro aplicativo israelense, o Waze, fez com sucesso com navegação. O Waze foi comprado pelo Google em 2013 por 1 bilhão de dólares.

O software da Anagog aprende o comportamento pessoal e sabe se um usuário está entrando num carro ou começando a sair, liberando uma vaga.

Embora a maioria dos consumidores vão optar por vagas gratuitas caso possam encontrá-las em vez de pagar estacionamento ou uma vaga reservada com antecedência, a chave para essa crescente indústria aparentemente será fornecer aos usuários o maior número de opções possível.

A Pango Mobile Parking, outra companhia israelense, começou com um aplicativo que torna mais rápido e fácil pagar por estacionamento via telefones móveis. A empresa atualmente tem acordos com 14 cidades nos EUA e operações no Brasil e na Polônia. No entanto, ela também está fornecendo serviços de localização de vagas e de valet.

(Por Tova Cohen)