Hillary pode ter violado normas federais de dados ao usar e-mail pessoal, diz NYT

terça-feira, 3 de março de 2015 10:04 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton pode ter violado leis federais de registros de dados do governo ao usar uma conta de e-mail pessoal para todas as suas mensagens de trabalho, informou o New York Times.

O jornal disse que a provável candidata presidencial democrata conduziu com uma conta de e-mail particular todos os seus assuntos oficiais de negócios durante sua passagem de quatro anos no Departamento de Estado.

De acordo com o NYT, Hillary, que deixou o cargo de secretária de Estado em 2013, recentemente entregou mais de 55.000 páginas de e-mails para o Departamento de Estado, em resposta a um esforço do departamento para cumprir com as práticas de manutenção de registros.

A lei federal estipula que cartas e e-mails escritos e recebidos por funcionários federais são registros do governo que devem ser guardados, observou o jornal. Regulamentos da época em que Hillary serviu como secretária de Estado, diz o NYT, estabelecem que e-mails de contas pessoais também têm de ser preservados.

O NYT assinalou ainda que a maioria dos especialistas acredita que contas de e-mail particulares só devam ser usadas para negócios oficiais do governo em situações de emergência.

Mas um porta-voz de Hillary disse ao jornal que ela estava cumprindo com a "letra e o espírito das normas" e já esperava que seus e-mails fossem retidos. Ele se recusou a detalhar por que ela escolheu conduzir os negócios por meio de sua conta pessoal, disse o NYT.

Em resposta à reportagem, a porta-voz do Departamento de Estado Marie Harf disse que o departamento no ano passado pediu aos ex-secretários de Estado, por meio de seus representantes, que apresentassem todos os registros em sua posse para melhorar a conservação dos dados e a gestão.

"Em resposta a nosso pedido, a secretária Hillary Clinton entregou ao departamento os e-mails que marcam seu período no departamento", afirmou Marie em um comunicado.

Porta-vozes de Hillary não puderam ser imediatamente contatados para comentar o assunto.

Hillary é amplamente considerada a favorita para ser indicada candidata presidencial democrata no próximo ano, se ela decidir entrar na disputa. Seus assessores mais próximos estão atualmente avaliando a aceleração da formação de uma organização de campanha eleitoral para abril ou maio, em vez de esperar até meados do ano.

(Reportagem de Lisa Lambert; Reportagem adicional de Lesley Wroughton e Steve Holland)

 
Ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton. 21/11/2014  REUTERS/Brendan McDermid