Huawei e Intel ampliam aliança em meio a crescente escrutínio chinês

quinta-feira, 5 de março de 2015 11:30 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A chinesa Huawei Technologies [HWT.UL] e a Intel estão ampliando uma aliança existente para fornecer computação em nuvem para operadoras globais de telefonias, num momento em que empresas norte-americanas de tecnologia disputam alianças chinesas para continuar com acesso ao duro mercado continental.

A parceria, anunciada pela Huawei em comunicado, surge quando empresas de tecnologia ocidentais e norte-americanas correm para demonstrar sua boa-fé com a China, que tem se tornado cada vez mais desconfiada sobre tecnologia estrangeira.

Dar as mãos a companhias chinesas, incluindo transferências de tecnologia e a adoção de marcas dos parceiros chineses, podem tornar estes produtos mais palatáveis para compradores locais e autoridades da segunda maior economia do mundo.

"Como ficar neste mercado e causar o menor dano possível ao seu negócio principal --esse é o quebra-cabeça sobre o qual todos estão se concentrando agora", disse o presidente do Conselho da consultoria APCO China, James McGregor.

O governo chinês tem incentivado abertamente o uso de mais tecnologia chinesa e menos tecnologia estrangeira, para cultivar seu próprio setor de tecnologia e como resposta às revelações do ex-prestador de serviço da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NAS), Eduardo Snowden, sobre a ampla vigilância eletrônica dos EUA.

A Intel e a Huawei já colaboraram antes, incluindo uma aliança sobre servidores e produtos de nuvem em 2012 e um acordo para cooperar em armazenamentos de dados em abril do ano passado.

(Por Paul Carsten)