Relógio da Apple está fora da lista de compra de 69% dos norte-americanos

sexta-feira, 13 de março de 2015 18:40 BRT
 

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O novo relógio da Apple pode enfrentar dificuldades para ser vendido, com 69 por cento dos norte-americanos indicando que não estão interessados em comprar o aparelho, de acordo com pesquisa Reuters/Ipsos.

No entanto, a pesquisa também mostrou limitado conhecimento sobre o relógio. A pesquisa foi realizada depois que o presidente-executivo da Apple, Tim Cook, lançou o produto na segunda-feira, e apenas metade dos consultados disseram ter visto notícias sobre o tema nos últimos dias.

Além disso, em um sinal positivo para a Apple, aproximadamente 13 por cento dos consultados que não têm iPhone disseram estar considerando comprar um aparelho com o objetivo de também adquirir o Apple Watch, que precisa do iPhone para funcionar plenamente.

A Apple superou o ceticismo em relação ao iPad e ao iPod quando foram lançados, mas a pesquisa sugere que a maior companhia de tecnologia do mundo precisa trabalhar para tornar o relógio popular.

O novo acessório, um teste para a liderança de Cook, é o primeiro novo produto da companhia em cinco anos, e chegará às lojas em 24 de abril.

O aparelho permite aos usuários checar emails, ouvir música e fazer ligações. A Apple venderá várias versões do produto, da edição esportiva de 349 dólares até o relógio de ouro de 18 quilates de 17 mil dólares.

O Ipsos ouviu 1.245 norte-americanos pela Internet entre 9 e 13 de março. A pesquisa tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais para baixo ou para cima.

A Apple não respondeu imediatamente a pedidos de comentários.