Telefónica renuncia a direitos na Telecom Italia para cumprir exigência da Anatel

sexta-feira, 20 de março de 2015 20:29 BRT
 

MADRI (Reuters) - O conglomerado espanhol Telefónica disse nesta sexta-feira que renunciou formalmente aos direitos associados à sua participação na Telecom Italia, com o objetivo de cumprir as determinações da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para permitir à empresa adquirir a operadora GVT da Vivendi.

Neste mês, o regulador brasileiro anunciou ter fechado acordo preliminar com a Telefónica e a GVT para deixar a via livre para a fusão.

"Segundo o determinado pela Anatel, a Telefónica se compromete publicamente diante de seus próprios acionistas e o mercado em geral, a cumprir com a renúncia de seus direitos políticos mencionada anteriormente em relação à Telecom Italia", disse o grupo em comunicado.

A Telefónica tem uma participação de cerca de 14,8 por cento na Telecom Italia, e prevê usar parte dessas ações para pagar a compra da operadora de banda larga GVT, depois que as relações entre as partes se deterioraram em meio à competição pela consolidação do setor de telecomunicações no Brasil.

A rivalidade surgiu uma vez que a Telecom Italia controla no Brasil a TIM Participações e a Intelig.

Após perder para a Telefónica a briga pela GVT no ano passado, a Telecom Italia trabalha com a chance de adquirir a Oi, apesar de essa possibilidade aparentemente ter perdido força.

Além de exigir da Telefónica a renúncia a seus direitos na Telecom Italia, a Anatel estabeleceu uma série de condições à Vivendi para aprovar a venda da GVT à companhia espanhola.

A Telefónica entrou em contato com nove bancos para gerir um aumento de capital de 3 bilhões de euros (3,2 bilhões de dólares) em relação à sua aquisição no Brasil, segundo disse na quinta-feira uma fonte familizarizada com o procedimento.

(Por Robert Hetz e Elisabeth O'Leary)