Vivendi rejeita argumento de fundo de hedge pela venda da Universal Music

segunda-feira, 23 de março de 2015 13:01 BRT
 

PARIS (Reuters) - O grupo de mídia francês Vivendi disse ter rejeitado o argumento de um fundo de hedge dos Estados Unidos que defendia a venda da unidade Universal Music, adicionando que a maioria dos acionistas apoia sua estratégia.

A P Schoenfeld Asset Management (PSAM) está desafiando a estratégia e a política de dividendos do pelo presidente do Conselho e maior acionista, Vincent Bollore, na assembleia geral de acionistas em 17 de abril, segundo o Financial Times.

O fundo, que detém menos de 1 por cento das ações da Vivendi, contratou consultores em Nova York e Paris para planejar uma luta "por procuração" após ficar desiludido com o preço das ações, disse o jornal.

A Vivendi disse que examinaria novos pedidos feitos pelo fundo.

Após uma série de alienações desde meados de 2013, a Vivendi acumulou bastante dinheiro para gastar em aquisições e recompensar acionistas, e prometeu devolver 5,7 bilhões de euros (6,2 bilhões de dólares) para investidores nos próximos anos.

Em resposta à notícia no FT, a companhia francesa disse: "O Conselho de Administração da Vivendi ... reitera que a maioria dos acionistas com os quais se reuniu recentemente está satisfeita com a estratégia de médio prazo que permite que o grupo crie valor através de um ambicioso plano interno e um plano de desenvolvimento externo".

(Por Leila Abboud)