Reguladores antitruste da UE vão investigar comércio eletrônico

quinta-feira, 26 de março de 2015 14:26 BRT
 

BERLIM (Reuters) - Reguladores da União Europeia planejam investigar o comércio eletrônico para ajudar a remover barreiras contra o comércio transfronteiriço no bloco de 28 países, disse a Comissária de Competição Europeia, Margrethe Vestager, uma decisão que pode levar a ações contra companhias que deliberadamente bloqueiam vendas online.

A chefe antitruste da UE disse que decidiu lançar o inquérito que demorará um ano pois tais obstáculos estão impedindo o crescimento das vendas online.

Segundo a Comissão Europeia, ao mesmo tempo em que um de cada dois consumidores da UE fizeram compras online no ano passado, apenas 15 por cento compraram um produto online em outro país da UE devido a restrições como idioma, leis diferentes e comportamentos anticompetitivos.

"Já é hora de remover as barreiras remanescentes ao comércio eletrônico, que é uma parte vital de um verdadeiro mercado digital único na Europa", disse Margrethe a repórteres em conferência organizada pela autoridade alemã de competição nesta quinta-feira.

"Esperamos obter os resultados preliminares em meados de 2016. É uma longa espera mas isso reflete o escopo do inquérito", disse Margrethe. A autoridade de competição da UE planeja enviar questionários a todos os países da UE e para diversas companhias.

A averiguação de Margrethe tem como objetivo identificar barreiras anticompetitivas e encontrar maneiras de enfrentá-las.

A comissária, que é dinamarquesa, disse que o inquérito não é direcionado contra companhias norte-americanas que têm grande atuação no comércio eletrônico.

"Não é uma questão de nacionalidade, é uma questão de comportamento", disse ela.

(Por Foo Yun Chee e Rene Wagner)