Usuários de relógio da Apple dizem que tatuagens confundem sensores

quinta-feira, 30 de abril de 2015 11:22 BRT
 

Por Matt Siegel

SYDNEY (Reuters) - Os primeiros usuários do Apple Watch, relógio de pulso que é o primeiro produto da empresa em cinco anos, estão se queixando de que várias das principais funções são afetadas por tatuagens.

Esses consumidores descobriram que sua pele tatuada confunde os sensores na parte de baixo do aparelho.

Os donos do relógio, que foi posto à venda na semana passada, foram às redes sociais nesta quinta-feira usando a hashtag #tattoogate para desabafar sua frustração com a falha no produto da Apple, conhecida pela qualidade de seus projetos.

Um usuário anônimo do Reddit, um site de entretenimento e networking mantido pelos internautas, disse que o mecanismo de bloqueio, que deveria desativar quando o relógio detecta que está sendo usado, não funcionou na pele decorada.

"Minha mão não é tatuada e o relógio continuou bloqueado. Quando eu o colocava na área que tem uma tatuagem com tinta preta, ele bloqueava automaticamente de novo", escreveu.

Este repórter da Reuters, que tem uma tatuagem preta no braço esquerdo, também descobriu que o relógio bloqueia na pele tatuada e não toca o alerta de novas mensagens. As medições cardíacas também foram significativamente diferentes em pulsos com e sem tatuagens.

Um artigo de ajuda da Apple afirma que o relógio usa luzes LED verdes juntamente com fotodiodos de alta sensibilidade para detectar a quantidade de sangue fluindo pelo pulso e calcular a frequência dos batimentos cardíacos.

Uma página de assistência técnica da empresa diz que as tatuagens podem interferir com as medições cardíacas, mas não menciona interferência em outras funções.

O porta-voz da Apple em Sydney não quis comentar nesta quinta-feira, mas três funcionários da empresa em sua loja de Sydney, incluindo um assessor sênior de sua linha de suporte técnico, afirmaram não estar cientes de qualquer problema.

A questão da tatuagem surge na esteira de uma reportagem de quarta-feira do jornal Wall Street Journal que diz que alguns sensores Taptic, que produzem a sensação de um toque no pulso, começaram a quebrar ao longo do tempo, um problema que afetou o lançamento do item

 
Jornalista da Reuters  Matt Siegel mostrando seu Apple Watch e a tatuagem, que confunde os sensores do aparelho.    30/04/2015    REUTERS/Jason Reed