Wal-Mart mira Amazon em disputa potencialmente cara em e-commerce

quarta-feira, 20 de maio de 2015 11:35 BRT
 

(Reuters) - O Wal-Mart disse que vai adotar uma abordagem diferente da usada pela Amazon.com sobre o crescimento online ao usar sua grande rede de lojas como pontos de distribuição.

Entretanto, se o maior varejista do mundo estiver determinado a competir mais diretamente com a Amazon, como tem sugerido ao testar um clube de vantagens com frete gratuito, então o Wal-Mart pode ter que gastar muito mais do que a meta de investimento anunciada anteriormente em grandes centros de distribuição e outros custos.

Os fracos resultados trimestrais do Wal-Mart divulgados na terça-feira destacaram a importância do desenvolvimento de seu negócio online.

As receitas online cresceram 17 por cento globalmente no primeiro trimestre encerrado em abril, ante leve queda nas vendas gerais. No entanto, os investimentos em comércio eletrônico tiraram 0,02 dólar do lucro da companhia por ação, um impacto de custo no trimestre igual ao da decisão de elevar os salários de todos os funcionários em cargos iniciais nos Estados Unidos.

O Wal-Mart informou anteriormente que vai investir entre 1,2 bilhão e 1,5 bilhão de dólares em comércio eletrônico neste ano. A companhia planeja abrir quatro grandes centros dedicados de entrega - somando-se a 11 instalações já em funcionamento, e às dúzias de centros de distribuição convencionais readaptados para ajudar na investida online.

Para o Wal-Mart, a maior vantagem em seu plano é uma rede de 4.500 lojas. A companhia já usa mais de 80 para distribuição, respondendo por um quinto de suas entregas online numa base por unidade. O Wal-Mart contabilizou 12 bilhões de dólares em receitas online no ano passado.

(Por Nathan Layne)