Regulador francês pressiona Google sobre 'direito de ser esquecido'

sexta-feira, 12 de junho de 2015 11:48 BRT
 

PARIS (Reuters) - O Google precisa limpar os resultados das buscas no mundo inteiro quando concorda em atender pedidos de usuários que desejam ser "esquecidos", e não apenas das versões europeias de seu site, disse o regulador de proteção de dados francês nesta sexta-feira.

O regulador CNIL disse em comunicado que se o Google não atender essa determinação em 15 dias, poderá lançar um processo que levará a sanções, aumentando as pressões sobre a gigante norte-americana após uma importante decisão judicial europeia.

Em maio do ano passado, a Corte Europeia de Justiça decidiu que os residentes da Europa poderiam pedir a mecanismos de busca online que deletassem os resultados com seu nome quando estes estivessem desatualizados, fossem irrelevantes ou provocativos -- o chamado "direito de ser esquecido".

Desde então, o Google e outros mecanismos de busca como o Bing, da Microsoft, e Yahoo começaram a aceitar os pedidos de retirada quando atendessem a determinados critérios.

Mas houve muito debate sobre a implementação, especialmente com a decisão do Google de retirar os resultados somente de sites europeus, levando alguns a recorrer a reguladores locais.

A companhia defende que só deve aplicar a decisão nos domínios europeus, como o Google.fr na França e o Google.de na Alemanha.

(Por Leila Abboud e Julia Fioretti)