China reprime financiamento online em aposta para proteger investidores

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015 14:35 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - Plataformas online não terão permissão para reunir dinheiro de investidores, captar fundos ou prejudicar o interesse público, de acordo com as regras publicadas pela Comissão Regulatória de Bancos da China (CBRC, na sigla em inglês) nesta segunda-feira.

O projeto delineia 12 ações proibidas, incluindo ocultar riscos de programas financeiros, e usar linguagem ambígua ou outros métodos fraudulentos para vender produtos.

A CBRC está buscando opiniões até 27 de janeiro de 2016 sobre as propostas de lei e não revelou um prazo para o lançamento da versão final.

No final de novembro, a China tinha 2.612 plataformas P2P em operação, atuando como agentes para mais de 400 bilhões de iuanes em empréstimos, de acordo com uma declaração divulgada junto com o projeto de lei.

Mais de 1.000 plataformas P2P --cerca de 30 por cento de todas as plataformas P2P-- eram problemáticas, disse o comunicado.

(Por Sue-Lin Wong e Engen Tham)