Obama anuncia força-tarefa para combater propaganda extremista on-line

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016 21:33 BRST
 

Por Dustin Volz e Mari Saito

WASHINGTON/SAN JOSE (Reuters) - O governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira a formação de uma força-tarefa para combater a propaganda on-line do Estado Islâmico e de outros grupos militantes, no momento em que os EUA tentam reprimir o uso sem precedentes da Internet por jihadistas.

Um novo grupo chamado Força-Tarefa para Contrapor-se ao Extremismo Violento vai “integrar e harmonizar” os esforços do governo para evitar o extremismo violento nos EUA, disse Ned Price, porta-voz de segurança nacional da Casa Branca.

Algumas das mudanças parecem principalmente burocráticas, contudo, e refletem as dificuldades atuais do governo para lidar com a presença on-line do Estado Islâmico.

Obama está trabalhando para assegurar o público que o seu governo está tendo êxito contra o Estado Islâmico após os recentes ataques em Paris e em San Bernardino, na Califórnia.

Como parte do esforço, autoridades do setor de segurança nacional começaram se encontrando nesta sexta-feira com executivos de companhias de tecnologia norte-americanas, incluindo o presidente da Apple, Tim Cook, no Vale do Silício, na Califórnia, para discutir como melhor dificultar o uso da Internet pelos extremistas violentos.

A conversa em San Jose focaria em como combater o uso das redes sociais pelo Estado Islâmico para “recrutar, radicalizar e mobilizar” seus seguidores, de acordo com uma pauta que circulou entre os participantes.

A reunião também discutiria como a tecnologia pode ser usada para cortar os caminhos para a violência e identificar padrões de recrutamento, além de criar um “conteúdo alternativo” que possa combater o grupo, que controla grandes áreas na Síria e no Iraque.

Um relatório de 2015 do Brookings Institution revelou que o grupo militante havia operado pelo menos 46 mil contas de Twitter durante um período de três meses em 2014.   Continuação...