Vivo, TIM e Claro disputam leilão de 4G; Oi e Nextel ficam fora

terça-feira, 23 de setembro de 2014 16:25 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - As operadoras Vivo, TIM e Claro se cadastraram nesta terça-feira para participar do leilão de telefonia móvel de quarta geração (4G), enquanto Oi Nextel optaram por ficar fora da disputa.

O leilão está marcado para 30 de setembro e ocorre no momento de intensa consolidação no setor de telecomunicações no Brasil, com a Telefônica Brasil (que opera sob a marca Vivo) comprando a GVT e a Oi se unindo à Portugal Telecom e tentando viabilizar uma oferta conjunta pela TIM.

A faixa de 700 MHz para 4G é considerada importante para complementar a frequência de 2,5 GHz comprada pelas operadoras no leilão em 2012.

A expectativa do governo federal para este leilão é de arrecadar pelo menos 7,7 bilhões de reais com a venda das licenças.

Após o fim do prazo para credenciamento das empresas interessadas no leilão nesta manhã, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recebeu os documentos e as propostas dos grupos. Além de três das quatro maiores operadoras do país, a Algar Telecom, que atua no interior de São Paulo, Goiás e Minas Gerais, entrou na disputa.

A Oi informou que decidiu não se credenciar para o leilão e que usará a faixa de 2,5 GHz que possui para oferecer 4G a seus clientes e "atender às obrigações de cobertura até 2017, podendo no futuro vir também a utilizar a faixa de 1,8 GHz".

A companhia, que fechou o primeiro semestre com dívida líquida de cerca de 46 bilhões de reais, afirmou ainda que decidiu manter a sua estratégia de investimento em projetos estruturantes de rede, considerando que a faixa leiloada só poderá ter uso pleno em 2019.

Analistas consideraram negativa a ausência da Oi do leilão de 4G, pela avaliação de que a empresa perderá competitividade sem ter o espectro de 700 MHz. Apesar disso, ressaltaram que a decisão preserva o caixa da companhia e, ao mesmo tempo, coloca mais pressão para que busque um movimento de fusão ou aquisição envolvendo a TIM.   Continuação...