Marina é campeã de menções no Twitter com cerca de um terço dos seguidores de Dilma

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 12:09 BRT
 

Por Felipe Pontes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O nome de Marina Silva (PSB) é o mais mencionado no Twitter entre todos os candidatos à Presidência da República, à frente da presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, apesar de a ex-ministra ter cerca de um terço do número de seguidores da adversária, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pela rede social de microblogs.

Os números sobre o desempenho dos três principais presidenciáveis no Twitter mostram que Marina, com 968 mil seguidores, foi citada 351 mil vezes desde o início da campanha, em 6 de julho, até 21 de setembro. Com 89 mil seguidores, Aécio Neves (PSDB) somou 322 mil menções a seu nome no mesmo período, enquanto Dilma contabilizou 280 mil menções, apesar de possuir mais de 2,8 milhões de seguidores.

“Isso não necessariamente significa que as pessoas apoiam Marina, elas podem estar criticando ela, podem estar falando qualquer tipo de coisa. O que isso mostra de fato é que as pessoas estão falando muito, estão motivadas em participar dessa campanha”, disse Adam Sharp, gerente sênior de Governo, Notícias e Inovação Social do Twitter, em entrevista à Reuters.

O dados revelam também que, a exemplo do que fez na candidatura anterior em 2010, Marina tem apostado fortemente em sua presença na Internet como alavanca na corrida ao Planalto. A ex-senadora publicou 1.078 tuítes no período observado pelo Twitter, ante 737 de Aécio e 189 de Dilma.

Isso fez com que Marina se tornasse líder no engajamento de seus seguidores, isto é, no volume de interações em decorrência de seus tuítes. Ela possui o maior número de respostas dadas a suas publicações, indicando ter estabelecido um diálogo direto com o eleitor, além de liderar também no número de retuítes (quando os usuários replicam o conteúdo) e favoritos (quando o usuário põe a publicação em destaque para outros), segundo dados do site de microblogs.

Sharp disse, no entanto, que o levantamento sobre o comportamento dos usuários do Twitter não pode ser confundido com uma pesquisa de intenção de voto, pois não corresponde a respostas dadas a perguntas específicas. O Twitter, para ele, tem a capacidade mais de proporcionar ao público em geral uma plataforma de observação qualitativa sobre a reação do eleitor.

"Por gerações tivemos apenas esse único número (pesquisas de intenção de voto) como meio de percepção sobre a eleição e o movimento de um candidato... Agora temos essa ferramenta que mostra em tempo real, online, conversas que eram normalmente travadas em ambiente privados”, disse Sharp. “Funciona mais como um reflexo da dinâmica da campanha, um paralelo das tendências”, acrescentou.

Nas intenções de voto, pesquisa Ibope divulgada esta semana mostrou Dilma com vantagem de 9 pontos sobre Marina no primeiro turno (38 por cento a 29 por cento), com Aécio em terceiro (19 por cento). Em simulação de segundo turno, Dilma e Marina estão em empate numérico, com 41 por cento. [nL2N0RO2XZ]   Continuação...

 
Candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, em ato de campanha em São Paulo. 24/09/2014 REUTERS/Paulo Whitaker