Regulador dos EUA interrompe prazo de análise de fusões AT&T-DirecTV e Comcast-TWC

quarta-feira, 22 de outubro de 2014 19:25 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos interrompeu nesta quarta-feira o prazo para análise da proposta de fusão entre AT&T e DirecTV e entre a Comcast e a Time Warner por questões envolvendo contratos confidenciais de programação.

A FCC, que determinará se os acordos são de interesse público, disse que irá pausar o prazo imposto de 180 dias para decidir como lidar com documentos confidenciais relacionados a acordos com companhias de mídia.

A análise da FCC da fusão de 48,5 bilhões de dólares da operadora de celular AT&T e da provedora de TV via satélite DirecTV estava no 76º dia dentro do prazo de 180 dias. A análise da fusão de 45 bilhões de dólares entre Comcast e Time Warner Cable foi interrompida no 85º dia.

A FCC analisa como resolver um obstáculo sobre coletar e analisar acordos que as companhias de TV paga assinaram com companhias de mídia, como CBS e Twenty-First Century Fox, para oferecer seu conteúdo a assinantes.

As companhias de conteúdo expressaram preocupações sobre o compartilhamento de detalhes de tais acordos com a FCC, afirmando que os processos da FCC ameaçavam o alto nível de confidencialidade dos documentos e arriscavam dar a competidores informações sobre acordos de negócio sensíveis.

A FCC está analisando as fusões com o Departamento de Justiça, cuja análise antitruste também inclui tais documentos, mas é confidencial.

A FCC disse que o acesso a acordos era crítico para algumas partes envolvidas para analisar as propostas de fusão. No início deste mês, a agência criou um novo processo para partes externas para buscar acessar documentos confidenciais.

No entanto, as companhias de conteúdo entraram com objeções contra cada indivíduo que teve acesso, disse a FCC. Irá agora analisar as objeções e decidir se e por quanto tempo ampliará o período de comentários.

(Por Alina Selyukh)