Hachette e Amazon entram em acordo sobre vendas de e-books

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 18:05 BRST
 

(Reuters) - O grupo Hachette e a Amazon.com disseram nesta quinta-feira ter chegado a um acordo para a venda de livros e e-books após meses de disputa que envolveu autores e agentes literários contra a maior varejista online do mundo.

A Hachette, uma unidade do grupo de mídia francês Lagardere, e a quarta maior editora norte-americana, disse que os novos termos sobre e-books entrarão em vigor no início do ano que vem e que terá a responsabilidade de determinar preços ao consumidor.

A Amazon, que tirou vários livros da Hachette de seu estoque, irá imediatamente retomar todo o catálogo da editora. Os livros serão vendidos em promoções.

A disputa começou no início deste ano, quando a Amazon e a Hachette iniciaram negociações sobre um novo acordo. O centro da disputa envolvia qual parte controlaria o direito de determinar o preço dos e-books.

Enquanto as negociações ocorriam, a Amazon atrasou a entrega e removeu as opções de encomenda para diversos títulos da Hachette, entre eles "The Silkworm", de J.K. Rowling, autora de Harry Potter, sob o pseudônimo de Robert Galbraith.

A Amazon é o principal varejista para a compra de e-books, e a provocação causou protestos de autores e agentes literários.

O diretor financeiro da Lagardere, Dominique D'Hinnin, disse durante a conferência com analistas sobre os resultados trimestrais da empresa: "estamos muito felizes de que essa discussão tenha ficado para trás."

O conglomerado francês de mídia disse que o acordo com a Amazon sobre preços do e-book não terão impacto sobre as margens e que espera "aumento significativo" das vendas de livros em novembro e dezembro.

Lagardere disse que a Amazon responde por cerca de 60 por cento das vendas digitais da Hachette.

(Por Jennifer Saba)